Paris, Londres, Lisboa, Barcelona… Se você sonha em conhecer o Velho Continente com certeza esses nomes já passaram pela sua cabeça, certo? Mas e se eu te disser que existem outras cidades tão incríveis quanto essas, mas bem menos conhecidas, que também merecem a sua visita por lá? Confira abaixo 11 delas!

5 melhores cidades para estudar no Velho Continente em 2021

Como ficar 1 ano na Europa legalmente (e sem visto!)

11 cidades pouco conhecidas para visitar no Velho Continente

Tbilisi – Geórgia

A capital da Geórgia ocupa uma posição única no continente europeu, tanto geográfica (fica na divisa do Velho Continente com a Ásia) quanto culturalmente. Por lá você irá encontrar um cenário marcado pela interseção de diferentes estilos arquitetônicos que servem como prova viva de toda a história da cidade, com estruturas modernistas soviéticas, igrejas ortodoxas orientais e fortalezas centenárias convivendo em harmonia. Também irá se deparar com bastante inovação na cena artística e de moda, que tem se desenvolvido a passos largos.

tbilisi-velho-continente
Tbilisi (Foto: Diego Delso/Wikipedia)

Tirana – Albânia

Por volta do ano 2000, a capital da Albânia foi injetada com uma nova vida, graças à visão criativa do ex-prefeito e atual primeiro-ministro Edi Rama. Trabalhando como artista antes de entrar na política, Rama encomendou centenas de pinturas caleidoscópicas em prédios de apartamentos de estilo soviético, que hoje fazem parte da identidade visual da cidade, que também é conhecida por seu mashup de marcos arquitetônicos das era otomana, fascista e soviética, como o Museu de História Nacional, o Palácio da Cultura e a Mesquita Hadji Et’hem Bey. 

Gotemburgo – Suécia

Como a segunda maior cidade da Suécia, Gotemburgo oferece uma sensação distintamente diferente da capital. Para começar, Gotemburgo tem metade do tamanho de Estocolmo – com menos de 600 mil residentes considerados muito amigáveis ​​- então você pode se locomover a pé facilmente. Isso quando você não estiver descobrindo a cidade através dos seus canais em estilo holandês, claro. Perto de países nórdicos como a Noruega e a Dinamarca, esta cidade da costa oeste no rio Göta älv é, já há muito tempo, um importante porto marítimo sueco. Inclusive é nessa área do porto que estão localizados alguns dos melhores restaurantes do país.

Gothenburg-Velho-Continente
Gotemburgo (Foto/Pixy.org)

Belgrado – Sérvia

A capital da Sérvia teve quinze nomes diferentes ao longo do tempo. Um apelido não oficial que pegou é “A Cidade Branca”, já que sua fortaleza homônima supostamente parece branca quando vista a partir dos rios Sava e Danúbio, que atravessam a cidade. Hoje em dia, essa cidade de 1,7 milhão de habitantes é às vezes chamada de “a nova Berlim”, por suas festas que parecem nunca acabar convivendo harmoniosamente com seus charmosos cafés. Alguns dos pontos mais interessantes para conhecer por lá são a Igreja Ortodoxa Sérvia, o Templo de São Sava e o Museu Nikola Tesla (que guarda o corpo do inventor sérvio-americano),

Gdańsk – Polônia

A cidade portuária de Gdańsk é frequentemente deixada de lado pelos turistas que visitam apenas Varsóvia e Cracóvia, mas isso não é uma coisa ruim se você prefere conhecer lugares menos lotados. Muitas vezes aclamada como a “Pequena Veneza Polonesa”, ela tem muito do mesmo charme veneziano – graças aos seus canais que levam ao Mar Báltico – mas é muito mias barata.

5 motivos para estudar na Polônia?

velho-continente-gdansk
Gdańsk (Foto: Diego Delso/Wikipedia)

Maastricht – Holanda

Mesmo que Amsterdã seja um dos destinos turísticos mais populares do Velho Continente, a Holanda ainda não recebe tantos turistas quanto poderia. E Maastricht definitivamente é uma cidade que merece ser mais conhecida. De museus a fortes e muralhas, Maastricht é uma sobrevivente que resistiu a diversos ataques e tentativas de invasões ao longo de sua história e isso fica evidente em suas construções que servem como lembretes das capacidades defensivas da cidade, como as Muralhas da Cidade Velha, o Forte Sint Pieter e até mesmo a Basílica de Nossa Senhora, que mais parece uma fortaleza.

Córdoba – Espanha

Córdoba tem uma alma vibrante que vive em sua arquitetura. Sua mesquita-catedral La Mezquita – datada de 784 d.C. – é possivelmente um de seus edifícios mais espetaculares, com 850 jaspes de granito colorido e pilares de mármore sustentando seus arcos listrados em forma de ferradura. Na verdade, toda a cidade é um cartão-postal, com destaques incluindo o Alcázar dos Monarcas Cristãos, a Torre Calahorra e uma passagem estreita e florida chamada Calleja de las Flores. É uma cidade que certamente atrai multidões, mas nada comparado a lugares como Madrid e Sevilha, que podem ser facilmente visitadas a partir de Córdoba.

velho-continente-cordobacordoba
Córdoba (Foto: Pixels4Free/Pixabay)

Viseu – Portugal

Viseu é uma pequena vila do centro de Portugal conhecida pelos seus vinhos requintados e pela arquitetura encantadora, que remontam à época dos romanos. Tal como Maastricht, Viseu também serviu de forte, situada no cruzamento de várias rotas comerciais. Graças à sua natureza originalmente defensiva, um dos lugares mais visitados da cidade é a Porta de Soar, um portão medieval que conduz à encantadora Sé Catedral de Viseu, toda em estilo barroco. Outros pontos de interesse são a Casa de Ribeira e a Igreja da Misericórdia.

Graz – Áustria

Entre outras joias escondidas do Velho Continente, Graz se destaca em parte por sua relevância como um dos maiores centros educacionais da Europa. Por alguma razão, ela sempre fica de escanteio quando comparada com Viena, a capital da Áustria, o que não é razoável considerando o quão majestosa e desenvolvida Graz é. Você com toda certeza irá se impressionar com a Igreja Neogótica do Sagrado Coração de Jesus, o Palácio de Eggenberg, o museu Kunsthaus Graz e o Arsenal da Estíria.

7 motivos para estudar na Áustria

velho-continente-graz-
Graz (Foto: Theo Rivierenlaan/Pixabay)

Trier – Alemanha

Um dos últimos bastiões da Alemanha sem turistas, Trier (também conhecida como a cidade natal de Karl Marx) recentemente entrou no radar de muitos visitantes. Então se você planeja visitar em paz uma das mais pitorescas cidades europeias, é melhor se apressar (mas só quando essa epidemia acabar, tá ok?).

Melhor descrito como a “Roma do Norte”, Trier realmente se assemelha a capital italiana em muitos aspectos. Andar por suas ruas é como caminhar pelas estradas de paralelepípedos do centro da Itália. Há até um complexo de banhos imperiais, que datam do século 4 e são uma das estruturas mais grandiosas de seu tipo fora da Itália. Por lá também você encontrará um anfiteatro semelhante aos encontrados em Roma.

Kotor – Montenegro

Por mais que venha ganhando popularidade nos últimoms anos, Montenegro ainda é um lugar relativamente desconhecido. Seu litoral sinuoso é o lugar perfeito para se perder em uma aventura de férias com poucas pessoas para incomodá-lo. E a Baía de Kotor está entre os locais mais bonitos junto ao Mar Adriático.

O núcleo deste local é a Cidade Velha de Kotor, um local de subidas íngremes, edifícios rústicos e um grande número de igrejas e catedrais. Locais como a Igreja de São Nicolau, a Igreja de São Lucas e a Catedral de São Tifão são monumentos antigos, bem conservados e de tirar o fôlego. Isso sem falar na Fortaleza de San Giovanni, de onde é possível ter uma vista inesquecível da cidade.

velho-continente-kotor
Kotor (Foto: Ggia/Wikimedia)

Universidade do Intercâmbio

Você morre de vontade de fazer um intercâmbio no Velho Continente? Então por que você não tenta fazer parte da nossa mentoria especializada para se preparar e conquistar uma oportunidade por lá? Para isso você só precisa fazer o nosso teste de perfil clicando aqui e aguardar a nossa resposta, se for aprovado(a).


Rafael Cerqueira

Rafael Cerqueira

Jornalista de 26 anos que adora viajar. Baiano que já viveu em Minas, em São Paulo, em Portugal e na Argentina. Conhece 26 países e tem o sonho de conhecer muito mais. Acredita que o mundo é grande demais e o tempo muito curto pra ficarmos parados sempre no mesmo lugar.